U
N
I
T
A
GRUPO PARLAMENTAR
Deputadas (os) Historia Album foto Estatutos Musica Projecto Vídeos
Fonte : KUP
Adalberto-Costa-Júnior-Presidente-do-Grupo-Parlamentar-da-UNITA.jpg
“A Governação continua a não ser uma governação para Todos”
Afirmou esta quarta-feira, 11 de Setembro de 2019, na Província da Huíla, o Presidente do Grupo Parlamentar da UNITA, Adalberto Costa Júnior, no Prosseguimento das VIII Jornadas Parlamentares do Grupo, a decorrerem na Huíla e Cunene.

O Líder Parlamentar denunciou a Imprensa no local, que as Jornadas Parlamentares do seu Partido não mereceram na Comunicação Social estatal o mesmo tratamento que as do MPLA realizadas recentemente.

“As Jornadas Parlamentares da UNITA não mereceram na Comunicação Social Pública, no Jornal de Angola, uma única linha, o que é claramente indicador dos enormes desafios ainda, negativos existentes na nossa sociedade”.

“Porque, não é normal nós termos visto outros espaços de Jornadas Parlamentares com páginas inteiras dos jornais nacionais, com directos nos órgãos públicos, e o Grupo Parlamentar da UNITA estar em jornadas e o jornal nacional tê-lo desconhecido por completo”, revelou.

Para o Deputado, “Isto diz-nos bem que a governação continua a não ser uma governação para todos, é uma governação para o MPLA e para os interesses do MPLA, e é preciso mudar esse status-quo”.

Adalberto Costa Júnior apontou que a existência de várias limitações criadas pelo governo, aos trabalhos dos deputados, em que denunciou a falta de pagamento das verbas para os grupos parlamentares como umas das limitações.

“A nossa esperança foi muito grande nesta transição, mas nenhum dos aspectos limitadores de ontem foram melhorados ontem. Aliás, acresceram. Nós hoje estamos com mais dificuldades de trabalhar. Um dos aspectos que eu dizia é que para aqui estarmos o Grupo Parlamentar teve que fazer empréstimos bancários com juros, para podermos fazer o nosso trabalho. Porquê? Porque a Assembleia não cumpre efectivamente com este aspecto, e não porque o governo não cumpre com a Assembleia”.

“É preciso também dizer esta questão. Não tínhamos esta realidade no antes da transição. Dá ideia que é uma decisão política. Porquê? Porque os deputados são pagos, mas os grupos não são pagos. E, isto é um elemento que eu reclamo. Porquê? Porque eu não estou acomodado porque sou pago, eu olho para aquilo que é o espaço fundamental de um Grupo Parlamentar, e o seu desempenho; a actividade, o desempenho que ela pode fazer”.

Segundo o Responsável Parlamentar, “Se esta actividade num ano como hoje, estamos no mês 9 (nove), sou recebeu 1 (um) então qualquer coisa está mal e temos que melhorar este aspecto. Desde Fevereiro, que não são pagos. E, de facto é muito tempo”.

Partilhar isto:

www.unitaangola.org
©  Copyright 2013
Todos os direitos reservados Grupo parlamentar (UNITA)
Segunda-feira, 16 de Setembro de 2019