UNITAANGOLA
Acordos Comunicados Discursos Estatutos Manifesto Memorando Regulamento
Restos mortais do Dr Jonas Savimbi já repousam na Lopitanga
Milhares de pessoas acorreram à aldeia de Lopitanga, para presenciar a inumação dos restos mortais do Dr. Jonas Malheiro Savimbi, ocorrida este sábado, 01 de Junho de 2019, tal como programara a direcção da UNITA.
26/06/2019
UNITA realiza seu XIII congresso em Novembro
O Presidente da UNITA, Isaías Samakuva convocou esta terça-feira, 25 de Junho de 2019, o XIII Congresso ordinário do Partido para os dias 13, 14 e 15 de Novembro de 2019, em Luanda.

Fê-lo nos termos do número 1 artigo 27º dos Estatutos do Partido, e na sequência do parecer favorável da Comissão Política, por ocasião da IV reunião ordinária daquele órgão deliberativo, nos intervalos dos Congressos, realizada em Dezembro de 2018.

Segundo a cláusula acima “o Congresso reúne ordinariamente de 4 em 4 anos por convocação do Presidente do Partido, ouvida a Comissão Política”.
De salientar que o Congresso é o órgão supremo do Partido ao qual compete, estabelecer a linha político-ideológica do Partido; aprovar e adoptar a estratégia, o programa do Partido e seus objectivos; rever os Estatutos e o Programa maior do Partido; rever os símbolos do Partido; aprovar os relatórios que lhe sejam apresentados pelos órgãos do Partido; eleger o Presidente do Partido; eleger a Comissão Política; decidir sobre a extinção, fusão, cisão ou a incorporação do Partido, nos termos dos Estatutos; apreciar a actuação dos órgãos do Partido e deliberar sobre qualquer questão de interesse do Partido.

Na ocasião da convocação do maior conclave do Partido, o Presidente Isaías Samakuva exortou os membros e militantes no sentido de se compenetrarem nas tarefas preparatórias do evento, de modo a torná-lo uma oportunidade para o reforço da unidade e coesão, enquanto ferramentas para enfrentar desafios.

O cronograma de acções a levar a cabo até a realização do Conclave, que começou esta terça-feira com a definição de data, convocação e criação de comissões de trabalho e nomeação de seus coordenadores, prevê actos que incluem apresentação dos regulamentos internos da comissões, apresentação, estudos das teses ao Congresso, a apresentação das candidatura, no período de 16 a 30 de Setembro.

A realização das conferências provinciais para aprovação das teses e eleição dos delegados destacam-se entre várias acções conducentes ao XIII Congresso da UNITA.
Ler mais
Em destaque
Houve desvios de dinheiro no CNC para contas privadas, afirmam Especialistas PR João Lourenço trabalha no Zaire
19/07/2019
19/07/2019
Os gestores do Conselho Nacional de Carregadores (CNC) nunca declararam ao Estado os excedentes das receitas arrecadadas, disse ontem, em tribunal, a inspectora do Ministério das Finanças Helena Nerica de Sousa, no julgamento que envolve o antigo ministro dos Transportes, Augusto Tomás.

O Presidente da República, João Lourenço, trabalha hoje quinta (18) e sexta-feira (19) de Julho do corrente ano, na província do Zaire, onde deverá tomar contacto com a realidade socioeconómica das cidades de Mbanza Kongo e do Soyo.
Polícia Nacional faz dois feridos e 7 detidos durante Manifestação Polícias e Fiscais maltratam Zungueira
O facto aconteceu sábado, 24 de Agosto de 2019, em Luanda, durante a marcha que ocorreu em quatro outras províncias do país, realizada por jovens para exigir ao Presidente da República, João Lourenço a criação de 500 mil postos de trabalho, prometidos pelo actual chefe do Executivo angolano, durante a Campanha Eleitoral de 2017. Há muito que os cidadãos e a sociedade em geral vêm defendendo uma atitude, ser e estar de que deviam, os agentes da PN, ter, evidenciar e praticar: uma postura humanista, solidária, associável, protectora, de garante da Segurança Pública, e como é óbvio; de manutenção da paz, ordem e tranquilidade. No entanto, apesar das recomendações que têm sido dadas aos Agentes da Polícia Nacional das instâncias Superiores daquela Instituição do Estado, e de seus responsáveis hierárquicos, a maioria dos efectivos policiais ainda têm excedido nas suas actuações.
Especialistas enaltecem mudanças na Comunicação Social Angolana
Responsável considera “um passo mais” a nova obra Científica Lançada
Um painel diversificado de jornalistas, personalidades políticas e sociais destacou na noite desta terça-feira, 27 de Agosto de 2019, em Luanda, a existência, em Angola, de uma comunicação social mais aberta e plural, focada na divulgação do quotidiano.
Disse esta sexta-feira, 09 de Agosto de 2019, o representante do INIDE, Amândio Gomes, falando em exclusivo a KUP, por ocasião do lançamento do “Dicionário de Verbos Conjugados em Umbundu e Português – Três tempos num só modo”, da Escritora Cesaltina Kulanda, realizada na União dos Escritores Angolanos (UEA), em Luanda.
Lançado Dicionário de verbos conjugados em Umbundu e Português Cidadã enforca Filho recém-nascido no Cunene
A Linguista e Escritora Cesaltina Kulanda lançou esta sexta-feira, 09 de Agosto de 2019, na União dos Escritores Angolanos (UEA), em Luanda, o “Dicionário de Verbos Conjugados em Umbundu e Português – Três tempos num só modo”, numa cerimónia bastante concorrida, pela presença de artistas nacionais, com destaque do músico Ondaka Yowiñi, e o renomado escritor Lopito Feijó. O incidente ocorreu depois de a acusada ter feito o parto em casa, pegou em uma corda e enforcou o bebé, tendo enterrado no quintal da residência, explicou neste domingo à Angop o porta-voz da Policia Nacional no Cunene, intendente Nicolau Tuvecalela.
Eco do Partido Campo do militante
Líder da UNITA garante fim da discriminação no GIP Jonas Savimbi “foi um Líder profundamente Capacitado”
O Presidente da UNITA, Isaías Samakuva, trabalhou esta quarta-feira 26 de Julho de 2017, na capital do Bengo, Caxito, tendo discursado para as populações locais. A posição é do Veterano da Pátria e General na Reforma, Vicente Viemba, que falava nesta sexta-feira, 15 de Fevereiro de 2019, no Espaço “A Hora das Perguntas”, da Rádio Despertar, onde falou de Jonas Malheiro Savimbi como político, militar e diplomata, tendo-o considerado como sendo um líder profundamente capacitado.
Intolerância
Palavra do Presidente
Presidente da UNITA acusa Governo de excluir Sul de Angola das suas Prioridades
O líder da UNITA Isaías Samakuva fundamenta a sua acusação no facto de o governo de João Lourenço atribuir, anualmente, 3% do Orçamento Geral do Estado, às províncias da Huila, Namibe, Cunene e Kuando Kubango, que albergam quatro milhões, novecentos e cinquenta e oito mil, duzentos e oitenta e quatro habitantes, equivalente a 17%, da população angolana.

“Isto significa, Senhoras e senhores, que o Governo Central exclui o Sul do País das suas prioridades, significa que o Governo angolano abandonou os seis eixos fundamentais de desenvolvimento do país que constam do Plano Nacional de Desenvolvimento 2018-2022”, afirmou o líder partidário.

De acordo com o dirigente político, tal facto revela que “o Governo não conhece a dimensão real dos problemas, não trata os angolanos todos como iguais, é insensível à dignidade humana, ou então é incompetente e não quer uma Angola igual para todos”.

“Quererá dizer-nos que não quer o Desenvolvimento Humano e o Bem-Estar para as pessoas do Sul de Angola Que não quer infraestruturas, não quer o Reforço do Estado Democrático e de Direito, não quer Boa Governação, não quer Reforma do Estado nem Descentralização para o Sul de Angola”, reforçou, sublinhando que a distribuição iníqua da riqueza nacional resulta da centralização do poder em Luanda.

De acordo com a visão do Presidente da UNITA, os problemas das comunidades dos Gambos, da Chibia, do Chipindo, do Cuanhama ou do Curoca não podem ser resolvidos pelo Governador que depende de Luanda. Têm de ser resolvidos pelas próprias pessoas que vivem os problemas, nas suas próprias comunidades.

“Estas pessoas devem ter autonomia para receber do Estado os recursos necessários e escolherem elas próprias, democraticamente, as pessoas capazes para implementarem as soluções que acharem mais adequadas para os problemas locais. É isto que se chama autonomia local”, esclareceu o líder da UNITA, reforçando a ideia do seu Partido e de uma boa parte da sociedade angolana, segundo a qual as autarquias locais devem ser institucionalizadas em todos os Municípios do país.

Angola só poderá resolver os problemas locais da fome e da seca com a autonomia local das populações que constituem as autarquias locais.

Isaías Samakuva entende que Angola Angola só poderá resolver os problemas locais da fome e da seca com a autonomia local das populações que constituem as autarquias locais.

“Por esta razão, os Deputados da UNITA [reunidos em 8ª Jornadas] vão trabalhar aqui junto das populações durante uma semana. Vão discutir com todos os interessados, incluindo os administradores municipais, as melhores vias, não só para se mitigar a crise, mas para se promover o desenvolvimento integral das pessoas e da região Sul de Angola”, acrescentou o Presidente da UNITA, avançando que os Deputados vão abordar também dimensões específicas da integração regional, começando com coisas pequenas.

O líder da UNITA exortou os parlamentares a reflectirem sobre como podem os angolanos da região Sul beneficiar da sua proximidade com vizinhos, que estão melhor organizados.

“Temos bons hospitais, boas escolas aqui perto, na Namíbia. Temos também o sistema de regadio da bacia hidrográfica do rio Cunene, com um potencial enorme para o desenvolvimento de culturas como o trigo, o arroz, a cana-de-açúcar, os citrinos, as hortícolas, o algodão, o girassol e o tabaco. Depois da Huila, o Cunene é a Província com maior efectivo pecuário, e igualmente com uma importante concentração de criadores de gado. Temos tecnologia mais próxima e mais barata aqui ao lado, na África Sul, para apoiar os agricultores e criadores de gado desta região Sul”, disse Isaías Samakuva, recordando que o gado no Cunene, não é apenas riqueza, é um dos elementos da identidade cultural dos povos.

Apontou que a administração autárquica da região Sul de Angola pode bem facilitar as relações entre os empresários e as cooperativas de Angola com os mercados da Namíbia e da África do Sul, para o benefício específico das comunidades da Huila, do Cunene, do Namibe e do Kuando Kubango. Fica mais barato do que importar tecnologia do Brasil, da China ou de Portugal.
Ler mais
grupo parlamentar - actividade
“A Governação continua a não ser uma governação para Todos”
Afirmou esta quarta-feira, 11 de Setembro de 2019, na Província da Huíla, o Presidente do Grupo Parlamentar da UNITA, Adalberto Costa Júnior, no Prosseguimento das VIII Jornadas Parlamentares do Grupo, a decorrerem na Huíla e Cunene.

O Líder Parlamentar denunciou a Imprensa no local, que as Jornadas Parlamentares do seu Partido não mereceram na Comunicação Social estatal o mesmo tratamento que as do MPLA realizadas recentemente.

“As Jornadas Parlamentares da UNITA não mereceram na Comunicação Social Pública, no Jornal de Angola, uma única linha, o que é claramente indicador dos enormes desafios ainda, negativos existentes na nossa sociedade”.

“Porque, não é normal nós termos visto outros espaços de Jornadas Parlamentares com páginas inteiras dos jornais nacionais, com directos nos órgãos públicos, e o Grupo Parlamentar da UNITA estar em jornadas e o jornal nacional tê-lo desconhecido por completo”, revelou.

Para o Deputado, “Isto diz-nos bem que a governação continua a não ser uma governação para todos, é uma governação para o MPLA e para os interesses do MPLA, e é preciso mudar esse status-quo”.

Adalberto Costa Júnior apontou que a existência de várias limitações criadas pelo governo, aos trabalhos dos deputados, em que denunciou a falta de pagamento das verbas para os grupos parlamentares como umas das limitações.

“A nossa esperança foi muito grande nesta transição, mas nenhum dos aspectos limitadores de ontem foram melhorados ontem. Aliás, acresceram. Nós hoje estamos com mais dificuldades de trabalhar. Um dos aspectos que eu dizia é que para aqui estarmos o Grupo Parlamentar teve que fazer empréstimos bancários com juros, para podermos fazer o nosso trabalho. Porquê? Porque a Assembleia não cumpre efectivamente com este aspecto, e não porque o governo não cumpre com a Assembleia”.

“É preciso também dizer esta questão. Não tínhamos esta realidade no antes da transição. Dá ideia que é uma decisão política. Porquê? Porque os deputados são pagos, mas os grupos não são pagos. E, isto é um elemento que eu reclamo. Porquê? Porque eu não estou acomodado porque sou pago, eu olho para aquilo que é o espaço fundamental de um Grupo Parlamentar, e o seu desempenho; a actividade, o desempenho que ela pode fazer”.

Segundo o Responsável Parlamentar, “Se esta actividade num ano como hoje, estamos no mês 9 (nove), sou recebeu 1 (um) então qualquer coisa está mal e temos que melhorar este aspecto. Desde Fevereiro, que não são pagos. E, de facto é muito tempo”.

Partilhar isto:

Ler mais
L.i.m.a - actividades
LIMA analisa situação sócio-política e Económica da Mulher e das Famílias
Sob o lema: “47 anos de luta pela valorização e dignificação da mulher angolana”, ocorreu esta quinta-feira, 27 de Junho do ano corrente, em Luanda, no Complexo Sovismo – Viana, a IV Reunião da Liga da Mulher Angolana (LIMA), braço feminino da UNITA, que contou com a participação de 251 Delegadas vindas das 18 Províncias do País.

De entre os vários assuntos abordados, as delegadas analisaram a situação social, política e económica da mulher e das famílias em geral, avaliaram a situação interna das suas estruturas e o grau de cumprimento do Plano de acção da organização, segundo consta do comunicado final divulgado depois da actividade.

Após a reunião as participantes concluíram que a mulher é a franja da sociedade mais afectada pelos altos índices de pobreza, miséria e exclusão social patentes no nosso país, pelo que insta as autoridades competentes e as organizações afins no sentido de colocar a mulher no centro das políticas públicas tendentes a reduzir a fome e a pobreza e elevar o nível e a qualidade de vida das famílias angolanas.

Sobre a violência doméstica, a reunião constatou que o fenómeno é um problema universal que atinge milhares de pessoas de forma silenciosa e dissimulada, realçando ser urgente proporcionar-se programas de sensibilização nas escolas, de modo a não influenciar a incidência do problema nas gerações vindouras; continuar a incentivar debates na comunicação social para minimizar os efeitos nefastos da violência conjugal, psicológica, física, económica e laboral.

Ressaltaram a importância da participação política da mulher, e enalteceram o papel que ela tem desempenhado no Parlamento e noutros órgãos de tomada de decisão, pois a subalternização da mulher em muitas esferas da sociedade impede que a igualdade consagrada na lei tenha, de facto, os necessários reflexos práticos.

Os membros participantes concluíram ainda que, uma efectiva dignificação da mulher passa pela mobilização das mulheres e do povo em geral à volta do Projecto de Sociedade da UNITA, e Alternância Política para consolidação do Estado Democrático em Angola.

Por outro lado, o IV Reunião da organização feminina da UNITA decidiu que o Congresso será convocado oportunamente, ponderadas todas as questões objectivas para os devidos efeitos.

“A IV Reunião da Comissão Política tomou boa nota do Plano Integrado de Intervenção nos municípios e concluiu que se é possível desconcentrar verbas para todos os municípios ao mesmo tempo, também é possível institucionalizar as autarquias locais em todos os municípios em 2020”, refere o comunicado.

Partilhar isto:

Ler mais
Vídeos
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
Opiniões
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Entrevistas
Facebook Youtube Twitter Contacto
Subscreva Newsletter
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicacão e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
©  Copyright 2002-2013
Domingo, 15 de Setembro de 2019