UNITAANGOLA
Acordos Comunicados Discursos Estatutos Manifesto Memorando Regulamento
Restos mortais do Dr Jonas Savimbi já repousam na Lopitanga
Milhares de pessoas acorreram à aldeia de Lopitanga, para presenciar a inumação dos restos mortais do Dr. Jonas Malheiro Savimbi, ocorrida este sábado, 01 de Junho de 2019, tal como programara a direcção da UNITA.
13/11/2019
Presidente da UNITA reconhece capacidade Ideológica dos Delegados
Discursando na abertura do XIII Congresso, esta quarta-feira, 13 de Novembro de 2019, no Complexo Sovsmo, em Luanda, diante dos delegados do Congresso, membros de Direcção do Partido, representantes de Partidos Políticos, Organizações da Sociedade Civil, Autoridades Tradicionais, representantes de confissões religiosas, e Candidatos à Presidente do Partido, o Presidente do maior Partido na Oposição, Isaías Samakuva, reconheceu a capacidade dos congressistas diante do magno evento que o seu Partido realiza.

“Na sua maioria, estes homens e mulheres valentes aqui presentes, os congressistas, pertencem às camadas sociais mais desfavorecidas durante o colonialismo e mais excluídas e discriminadas no pós independência. Podem não ser intelectuais mas são perspicazes, maioritariamente trabalhadoras e sobretudo conscientes da causa que defendem”.

O Presidente da UNITA que deixa a liderança do Partido esta semana, considera o XIII Congresso da UNITA, ser um momento histórico para a força Política.

“Este é um momento histórico, similar àquele em que iniciamos a Longa Marcha, ou àquele em que editamos o Manifesto do Kwanza ou àquele em que assinamos a paz, em Bicesse. É daqueles momentos em que o partido precisa de ser presidido e movido pelo patriotismo, precisa de coesão para colocar sempre o interesse do Partido acima dos interesses pessoais e precisa de privilegiar a cidadania e não a partidocracia”.

Para o ainda Presidente da UNITA, “O bom líder é humilde. Os candidatos à eleição não são órgãos do Partido nem são chefes dos demais membros. Devem obediência aos Estatutos e aos órgãos superiores de Direcção. Acima de tudo, é preciso recordar sempre que nenhum candidato é maior do que a UNITA. Não é o barulho ou o falar mais alto que faz alguém o mais preferido”.

O Presidente da UNITA deu a conhecer que, o XIII Congresso da UNITA, para além de ser electivo, vai discutir estratégia e aprovar o programa do Partido para a nova etapa delicada da luta do Partido pela cidadania igual, aconselhando, por outro lado, ser preciso que o processo eleitoral não se transforme num factor de instabilidade ou num ambiente de fricção.

Ler mais
Em destaque
UNITA realiza seu XIII congresso em Novembro Houve desvios de dinheiro no CNC para contas privadas, afirmam Especialistas
26/06/2019
19/07/2019
O Presidente da UNITA, Isaías Samakuva convocou esta terça-feira, 25 de Junho de 2019, o XIII Congresso ordinário do Partido para os dias 13, 14 e 15 de Novembro de 2019, em Luanda. Os gestores do Conselho Nacional de Carregadores (CNC) nunca declararam ao Estado os excedentes das receitas arrecadadas, disse ontem, em tribunal, a inspectora do Ministério das Finanças Helena Nerica de Sousa, no julgamento que envolve o antigo ministro dos Transportes, Augusto Tomás.

Lançada obra sobre avaliação na Língua Inglesa para o contexto Angolano Jornalismo Imprenso e demais instados a promover as Línguas Nacionais
Foi lançada nesta sexta-feira, 04 de Outubro do corrente ano, a obra científica intitulada: “New Trends in English Language Teaching and Assessment: Implications for the Angolan context” – “Novas Tendências no Ensino da Língua Inglesa e Avaliação: Implicações sobre o contexto Angolano”, do Professor e escritor Angolano, Manuel Tchakamba. A recomendação foi apontada pelo escritor angolano Octaviano Correia que foi o orador da palestra realizada esta Quarta-feira, 11 de Setembro de 2019, que acontece as quartas-feiras, na União dos Escritores Angolanos (UEA).
Polícia Nacional faz dois feridos e 7 detidos durante Manifestação
Polícias e Fiscais maltratam Zungueira
O facto aconteceu sábado, 24 de Agosto de 2019, em Luanda, durante a marcha que ocorreu em quatro outras províncias do país, realizada por jovens para exigir ao Presidente da República, João Lourenço a criação de 500 mil postos de trabalho, prometidos pelo actual chefe do Executivo angolano, durante a Campanha Eleitoral de 2017. Há muito que os cidadãos e a sociedade em geral vêm defendendo uma atitude, ser e estar de que deviam, os agentes da PN, ter, evidenciar e praticar: uma postura humanista, solidária, associável, protectora, de garante da Segurança Pública, e como é óbvio; de manutenção da paz, ordem e tranquilidade. No entanto, apesar das recomendações que têm sido dadas aos Agentes da Polícia Nacional das instâncias Superiores daquela Instituição do Estado, e de seus responsáveis hierárquicos, a maioria dos efectivos policiais ainda têm excedido nas suas actuações.
Especialistas enaltecem mudanças na Comunicação Social Angolana Responsável considera “um passo mais” a nova obra Científica Lançada
Um painel diversificado de jornalistas, personalidades políticas e sociais destacou na noite desta terça-feira, 27 de Agosto de 2019, em Luanda, a existência, em Angola, de uma comunicação social mais aberta e plural, focada na divulgação do quotidiano.
Disse esta sexta-feira, 09 de Agosto de 2019, o representante do INIDE, Amândio Gomes, falando em exclusivo a KUP, por ocasião do lançamento do “Dicionário de Verbos Conjugados em Umbundu e Português – Três tempos num só modo”, da Escritora Cesaltina Kulanda, realizada na União dos Escritores Angolanos (UEA), em Luanda.
Eco do Partido Campo do militante
Líder da UNITA garante fim da discriminação no GIP Isaías Samakuva: “Estamos num momento de transição para uma nova era em Angola”
O Presidente da UNITA, Isaías Samakuva, trabalhou esta quarta-feira 26 de Julho de 2017, na capital do Bengo, Caxito, tendo discursado para as populações locais. O país africano vive um momento histórico frente as próximas eleições, que marcarão o rumo que tomará o Governo angolano para sair da crise actual
Intolerância
Palavra do Presidente
Presidente Isaías Samakuva traça perfil de seu substituto na Direcção da UNITA
O Presidente da UNITA afirmou esta quarta-feira, 13 de Novembro de 2019, que o Partido fundado por Jonas Malheiro Savimbi, reunido no seu XIII Congresso Ordinário, deve ser conduzido por líderes visionários, honestos e dedicados à causa dos menos equipados.

Discursando na abertura do Magno evento que reúne 1.150 delegados, provenientes de diferentes partes de Angola e do exterior, Isaías Samakuva defendeu a necessidade de a UNITA continuar a se afirmar como estuário das forças patrióticas, numa altura em que outras forças políticas revelam-se fragilizadas e divididas, por falta de patriotismo.

Além de estabelecer a linha político-ideológica do Partido, aprovar e adoptar a estratégia, o programa do Partido seus objectivos, rever estatutos e o programa maior do Partido, aprovar relatórios dos órgãos do Partido, o XIII Congresso tem a competência de eleger o Presidente do Partido.

Em relação a isso, Isaías Samakuva, em fim de mandato, sugere que os delegados escolham líderes com capacidade de congregar, honestos e disciplinados, capazes de formar um núcleo sólido, disciplinado e coeso para constituir a Direcção executiva do Partido e trabalhar em equipa para a conquista do poder do Estado.

Alertou, entretanto, que o processo eleitoral não se transforme num factor de instabilidade ou num ambiente de fricção, aconselhando que as diferenças não constituam divergências.

“Podemos discordar mas sem contundências nem hostilidades, para não perdermos a capacidade de nos unir. O bom líder é humilde. Os candidatos à eleição não são órgãos do Partido nem são chefes dos demais membros. Devem obediência aos Estatutos e aos órgãos superiores de Direcção. Acima de tudo, é preciso recordar sempre que nenhum candidato é maior do que a UNITA. Não é o barulho ou o falar mais alto que faz alguém o mais preferido”, aconselhou Isaías Samakuva.

Recordando que a UNITA não é um grupo de cidadãos que luta para si própria, o Presidente Isaías Samakuva assegurou que o seu Partido luta há 53 anos pela independência total de Angola.

“Independência total significa independência para os filhos da terra. Independência total significa ter os cuidados primários de saúde para os filhos da terra garantidos pelo Estado, sem pagar. Significa, por exemplo, que todas as crianças dos filhos da terra devem ter assegurado pelo Estado o acesso ao ensino obrigatório, sem pagar. Se o Estado não tem escolas suficientes, pode contratar com os colégios privados, mas os angolanos não deviam pagar nada para as suas crianças estudarem pelo menos durante a instrução primária e secundária”, explicou, sublinhando que independência total significa também ter os cidadãos a resolverem eles mesmos os seus próprios problemas locais, através das as autarquias locais.

O XIII Congresso da UNITA ocorre poucos dias depois da celebração do 44º aniversário da Independência de Angola, num contexto dominado pela fome, analfabetismo e pobreza.

De acordo com Isaías Samakuva, o ideal da independência foi traído por quem o devia defender e preservar.

“É revelador o facto de que, 44 anos depois da independência e 17 anos depois de conquistada a paz, os que traíram o ideal da independência também defraudaram a História, assaltaram as finanças públicas, subverteram a democracia, roubaram tudo e a todos por terem institucionalizado a corrupção e capturado o Estado independente de Angola”, insistiu.

Olhando para a trajectória da UNITA, com registo de bons e maus momentos, o líder do Partido convidou os congressistas a considerarem o XIII Congresso como momento de virar a página que ensombrou o passado da UNITA.

“Este, deve ser pois, o Congresso da Reconciliação Interna e da Reunificação da Grande Família UNITA. Não só precisamos ultrapassar e deixar para trás tudo o que nos divide como também precisamos de implementar a orientação contida no pronunciamento do nosso Presidente Fundador” augurou Samakuva.

Os trabalhos iniciados hoje e interrompido ao cair da tarde para a conclusão do processo de credenciamento de delegados pela Comissão Mandatos, devem retomar quinta-feira e terminar dia 15, quando forem eleitos e empossados o novo presidente e a Comissão Política.

Ler mais
grupo parlamentar - actividade
Jurista reprova Órgão de monitorização dos Projectos do Executivo
A Jurista e Deputada a Assembleia Nacional, Mihaela Webba, manifestou a sua posição esta este Domingo, 10, no Programa Angola e o Mundo em 7 Dias, que é realidade na Rádio Despertar, e considerando que não faz sentido a criação do Organismo (Unidade de Monitorização dos Projectos do Executivo – UMAPE) considerando a sua tarefa ser da Inspecção Geral do Estado.

“O Presidente da República é o executivo, e o executivo está a pagar aos seus auxiliares para fiscalizarem a sua actividade. Isso faz sentido? Então, o que é que a Inspecção Geral do Estado faz, ou o que é que a Inspecção Geral do Estado deve fazer. Não faz sentido. Estamos aqui a criar “job for the boys”, e vamos continuar exactamente no mesmo circulo vicioso”.

Para a também constitucionalista, “Quer dizer o Estado Angolano já tem poucos recursos, vai criar uma Comissão, e essas Comissões, as pessoas que trabalham nessas comissões são técnicos, têm que ser pagos; são recursos humanos; e portanto, o Estado não se pode dar ao luxo de criar estruturas paralelas ao estado, quando que já existem as instituições vocacionadas para fazerem a fiscalização”.

“Deixem a Assembleia Nacional fazer a fiscalização, deixem o Tribunal de Contas fazer a fiscalização, deixem a Procuradoria Geral da República ter carta branca para fiscalizar tudo e todos, inclusive o Presidente da República. Deixem a Inspecção Geral do Estado fazer o seu trabalho; e não vamos precisar de uma estrutura dentro da Presidência da República, que trate da questão de monitorar o trabalho do executivo, em termos de despesas públicas. Não faz sentido. Não faz sentido!”, realçou Mihaela Webba.

Artur Luamba, outro convidado ao Programa indicou que a iniciativa é uma forma de auto-controlo do executivo.

Esse UMAPE, na verdade, é uma forma de auto-controlo, auto-fiscalização do executivo. É como se fosse uma questão nas empresas, é como se fosse uma auditoria interna, e é normal. Á nível das empresas existe a questão da auditoria externa, que são entidade externas que vão fazer a auditoria da empresa; e existe a auditoria interna, que são os técnicos da mesma empresa que vão fazer, na verdade a fiscalização ou o controlo da mesma empresa. É isso que nos remete o UMAPE.

O analista assegurou que com esse controlo vai se dar cobro a situações nada boas.

“Existe, sim, concordo, órgãos de fiscalização que é a PGR, que é o Tribunal de Contas, e mais outras entidades, que são questões externas; mas com UMAPE, o executivo está a mostrar que quer fazer um auto-controlo, quer fazer uma auto-fiscalização. E, é normal o executivo fazer uma auto-fiscalização, para evitarmos situações nada agradáveis, de que a obra y, x já terminou afinal não terminou. Mas com esse controlo vai se dar cobro a essas situações nada boas”.

O anúncio da criação do UMAPE foi divulgado nesta segunda-feira, 4 de Novembro deste ano, pela Presidência da República, através da sua página oficial na rede social Facebook.

Ler mais
L.i.m.a - actividades
LIMA e JURA congratulam trabalho do Presidente do seu Partido em 16 Anos
No discurso de homenagem da LIMA, ao Presidente da UNITA, Isaías Samakuva, lido pela Presidente da Organização feminina do maior Partido na oposição em Angola, Helena Bonguela, esta quarta-feira, 13 de Novembro de 2019, no início do XIII Congresso do seu Partido, reconheceu o empenho do ainda Presidente da UNITA no ponto de vista interno, e também externo.

“Do ponto de vista externo, sob a direcção do Presidente Samakuva, a UNITA contribui para a regularização institucional do Estado, assente na realização periódica das eleições gerais e com essas, o normal funcionamento das instituições, devolvendo ao País a estabilidade necessária para dialogar consigo mesmo e com o mundo”, realçou.

A Organização louva o trabalho pelo Presidente do seu partido durante os anos que liderou o partido.

“E pelo trabalho feito até aqui, a nossa chama que não se apagou, nós Liga da Mulher Angolana, queremos diante desta magna Assembleia apresentar os nossos agradecimentos ao Dr. Isaías Henrique Ngola Samakuva”.

“Não deixaremos de recomendar que continue a dar ao Partido o que tem de melhor para que em conjunto com a nova direcção a sair do XIII Congresso Ordinário contribua com o seu saber e experiência, para a UNITA continuar forte na prossecução do seu objectivo maior que se atinge com a contribuição de todos e de formas multifacetadas”.

Discursando na mensagem de saudação ao XIII Congresso Ordinário da UNITA, a Juventude Unida Revolucionária da UNITA -JURA, Agostinho Kamuango, Secretário-geral, do braço juvenil da UNITA, realçou.

“Para o Dr. Isaías Samakuva; os nossos profundos agradecimentos; nosso querido Presidente, que nos momentos mais difíceis da história da UNITA, entregou-se de corpo e alma, reconstruindo o partido de retalhos em que quase estava sujeito”.

“Hoje a UNITA está cada vez mais forte e se apresenta como verdadeira alternância ao poder. Sr. Presidente, a JURA vos será eternamente grata, pois pudestes renovar a nossa esperança, a esperança de milhões de Angolanos, arriscastes muitas vezes até a própria vida, na defesa dos ideais mais nobres, os ideais de Muangai; o nosso muito Obrigado”, disse Agostinho Kamuango.

Ler mais
Vídeos
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
Opiniões
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Entrevistas
Facebook Youtube Twitter Contacto
Subscreva Newsletter
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicacão e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
©  Copyright 2002-2013
Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019