UNITAANGOLA
Acordos Comunicados Discursos Estatutos Manifesto Memorando Regulamento
Presidente Isaías Samakuva denuncia estratégia subversiva na preparação das autarquias locais em Angola
Assim como em 1975 Angola proclamou a independência sobre a totalidade dos municípios ao mesmo tempo, assim também, em 2020, Angola deve estabelecer as autarquias em todos os municípios ao mesmo tempo.
24/05/2018
Convocada greve para exigir reposição de salários
Uma greve intercalada para os dias 30 de Maio, 1, 14 e 15 de Junho, foi decretada terça-feira, 22 de Maio de 2018, na província do Huambo, pelo Sindicato dos Trabalhadores da Educação, Cultura, Desporto e Comunicação Social (STECDCSH) para exigir, ao Ministério das Finanças, a reposição dos salários de 2.080 professores suspensos em Abril.
A decisão foi tomada durante a assembleia-geral dos filiados daquela organização sindical, em solidariedade aos educadores que em Abril foram privados dos seus salários, situação que pode repetir-se este mês.

Em nota enviada à Angop, o sindicato apela adesão massiva de todos os tutores a esta greve solidária, ao mesmo tempo que exorta os directores de escolas a ponderarem na aplicação de faltas aos afectados pela medida do Ministério das Finanças.

Na assembleia-geral também foi decidido à criação de uma comissão, composta pelos membros da delegação local das Finanças, direcção da Educação e do Sindicato, para deslocar-se à capital do país a fim de trabalhar directamente com os órgãos centrais, e ultrapassar o mais breve possível a situação.
Ouvido pela Angop, o presidente do STECDCSH, Adriano dos Santos, referiu que a morosidade que se regista na resolução da situação, que está gravemente a condicionar a vida dos professores afectados, constitui o principal fundamento da convocação da greve.

Assegurou que a mesma decorrerá de forma pacífica e ordeira, no cumprimento dos postulados legais em vigor no país, informando que pode ser suspensa antes das datas marcadas, caso se verifique uma mudança positiva do quadro actual da situação.

Já o chefe da secção dos Recursos Humanos da direcção da Educação, Ciência e Tecnologia, Tiago Cangombe, admitiu que a morosidade que se verifica na resolução do problema deve-se à observância dos procedimentos necessários por parte do Ministério das Finanças, que tem a competência exclusiva de repor os trabalhadores até agora suspensos.

Informou que o governo local envidou, em tempo oportuno, todos os esforços na recolha dos documentos exigidos pelo Ministério das Finanças, para a comprovação da efectividade dos professores que se encontram nesta condição.

Apesar de reconhecer que a greve é um direito constitucionalmente consagrado, o responsável solicitou ponderação e espírito patriótico dos profissionais, para não interromperem as aulas que retomaram segunda-feira, depois de um mês de férias referentes ao fim do primeiro trimestre.
Ler mais
Em destaque
Prémio “herói Mundial da Liberdade de Imprensa” para Rafael Marques Governo reconhece conflito em Cabinda
22/05/2018
14/05/2018
O jornalista angolano Rafael Marques de Morais foi nomeado como o 70º Herói Mundial da Liberdade de Imprensa, prémio atribuído pelo Instituto Internacional da Imprensa (IPI), indicou hoje a organização. O conflito latente no enclave de Cabinda, por parte dos independentistas da FLEC-FAC, é um dos riscos à segurança em Angola admitido pelo Governo angolano numa informação prestada aos investidores. Coisa rara. Até agora, contra todos os factos, o MPLA/Estado sempre disse que em Cabinda não havia nenhum problema.
Rafael Marques vence prémio herói mundial da liberdade de imprensa SINPROF espera acordo prático que resolva problemas
Lisboa – O jornalista angolano Rafael Marques de Morais foi nomeado como o 70.º Herói Mundial da Liberdade de Imprensa, prémio atribuído pelo Instituto Internacional da Imprensa (IPI), indicou hoje a organização.
Os responsáveis do Banco de Poupança e Crédito e do Ministério da Educação assinaram na passada sexta-feira, 18 de Maio de 2018, um acordo de facilitação e abertura de contas salários para professores, uma iniciativa aplaudida pelo porta-voz do Sindicato Nacional dos Professores, Ngongo Mbaxi Paulino Mateus.
Angolana detida em São Paulo por suspeita de tráfico de droga
BPC com buraco de 5.000 milhões de dólares
Uma jovem angolana, de 24 anos, foi detida na quinta-feira, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, na cidade brasileira de São Paulo, quando presumivelmente tentava embarcar para Luanda com 45 quilos de cocaína, encontrados em três malas. O BPC, o maior banco angolano, totalmente detido pelo Estado, fechou 2017 com um buraco de 5.200 milhões de dólares (4.300 milhões de euros), essencialmente devido ao crédito malparado, o segundo pior registo da história da banca em Angola.
Walter Ferreira: "Precisamos de nos despir da militância partidária" Carta de protesto à TPA - Jovens organizados do Bengo
O Conselho Nacional da Juventude tem legalidade mas não tem qualquer legitimidade pelo que deve ser dissolvido, defendeu no “Angola Fala Só”, da VOA, nesta sexta-feira, 18, o coordenador da Plataforma Juvenil pela Cidadania, Walter Ferreira.  O lema da TPA, “Somos Todos Nós”, faria todo o sentido, por ser aquela que é paga com os recursos de todos angolanos, não fosse o seu carácter parcial. Aliás, a prática tem revelado que a TPA ainda está muito longe de ser a televisão de todos os angolanos, onde todas as sensibilidades teriam o seu espaço.
Eco do Partido Campo do militante
Líder da UNITA garante fim da discriminação no GIP Batalha do Kuito Kuanavale: O Estratega e a Estratégia que ninguém apaga – Kamalata Numa
O Presidente da UNITA, Isaías Samakuva, trabalhou esta quarta-feira 26 de Julho de 2017, na capital do Bengo, Caxito, tendo discursado para as populações locais. Com a invasão das tropas cubanas em primeiro lugar e posteriormente das forças do Exército sul africano a Angola, aniquilava-se o Acordo de Alvor assinado por Portugal e pelos Movimentos de Libertação de então (a FNLA, o MPLA e a UNITA).
Intolerância
Palavra do Presidente
Presidente Samakuva enaltece heroísmo da mulher angolana
A LIMA encerrou este sábado a quadra festiva alusiva ao seu 42º aniversário, em cerimónia realizada no Complexo Sovsmo, em Viana, na presença de várias individualidades e membros do Partido.

Convidado a proferir o discurso de encerramento da quadra comemorativa, o Presidente da UNITA, Isaías Samakuva começou por agradecer o convite, o programa em si e a presença de várias mulheres que se destacaram na luta de libertação como participes activas.

Depois de fazer referência às lutas das mulheres no mundo pela sua emancipação, o líder da UNITA enalteceu o papel que a mulher enquadrada na LIMA tem desempenhado para merecer um lugar ao sol.

Olhando para a realidade social e económica das populações angolanas, em especial das mulheres, Isaías Samakuva disse acreditar haver maior vontade de se inverter o quadro, tendo convidado os membros do Partido e da LIMA em particular a ir ao encontros das pessoas que sofrem e convencê-las a integrarem o movimento para a mudança.

“Os angolanos podem ter uma vida melhor”, disse o mais alto dirigente da UNITA, para quem é preciso travar batalhas para se conquistar o que se deseja.
Ler mais
grupo parlamentar - actividade
Interesse Partidário sobre pós-se ao nacional na aprovação da Lei
A Lei de Repatriamento de Capitais proposta pelo executivo e aprovada a 17 de Maio de 2018, na Assembleia Nacional, foi a questão reflectida Domingo, 20 de Maio de 2018, no Programa “Farol Juvenil” da Rádio Despertar.

Manuel Ekuiku, jurista e deputado a Assembleia Nacional pela Bancada Parlamentar da UNITA, que viu reprovada pelo voto da maioria parlamentar o projecto de Lei do Regime Extraordinário de Regulação Patrimonial (RERP) da UNITA, afirmou que a proposta dos dois diplomas daria numa lei de maior consenso e que poderia efectivamente servir os interesses de Angola.

“Importa aqui salientar que houve uma Proposta de Lei e um Projecto de Lei. A proposta vem do executivo – o Presidente da República, e o Projecto veio do Grupo Parlamentar da UNITA. Na nossa maneira de ver a fusão desses dois diplomas daria numa lei de maior consenso e que poderia efectivamente servir os interesses de Angola, porque a proposta da UNITA é mais abrangente, portanto, consegue suprir as lacunas, que a proposta apresentada pelo executivo tinha”, explicou o parlamentar, acrescentando que o projecto de lei da UNITA tinha um alcance muito elevado, porque abrangia também o património, e além do mais, a própria Lei propunha-se a criar um fundo de combate à pobreza, que era uma forma de, portanto, na insuficiência de verbas para o cumprimento cabal do plano económico de 2018, portanto esta verba ia ser alocada para os sectores necessitados.

“Infelizmente não houve consenso com o MPLA, mais uma vez falou mais alto o interesse partidário e não o interesse nacional”, sublinhou.

O jurista Ekundi Chissolukombe “A aprovação desta lei provou ao país a incompetência de João Lourenço aquilo que se propôs fazer que é a moralização da sociedade e o combate, claro, a corrupção, sublinhando ainda, que, quando se aprova uma lei que nada beneficia o cidadão, que confere a lavagem de capital, a lavagem dos recursos desviados e lapidar o erário público, estamos diante de mais um golpe.

Para Ekundi Chissolukombe, com a aprovação da proposta de Lei do Executivo o MPLA mostrou que está ao serviço da minoria.

“Pensamos nós que devemos assinar a verdadeira patriótica, devemos assinar a nossa disponibilidade em continuar a servir os interesses daqueles que sofrem, porque o MPLA mostrou que não tem compromisso com o país, o MPLA mostrou que não tem vocação para governar, o MPLA mostrou que está ao serviço da minoria”.
Ler mais
L.i.m.a - actividades
Kwanza Sul: Sector feminino preocupado com fenómeno da tala, violação sexual e indecência.
É um feitiço colocado em zonas de grande transitabilidade e, é feito com um determinado pó e folhas secas que são armadilhadas por onde o fluxo de pessoas é maior. Basta alguém pisar no cordão feito pelo malfeitor e… zás. Só gritos.

Quem acciona a Tala não pode ser tratado no hospital porque, tão logo lhe é ministrado uma injecção ou qualquer medicamento, dez minutos depois a pessoa morre. Ela só é curada tradicionalmente.

Por este facto, a directora provincial da Acção Social, Família e Promoção da Mulher do Kwanza-Sul aproveitou a ocasião em que todos sobas da província estiveram reunidos para mostrar sua inquietação e pedir que as autoridades tradicionais façam alguma coisa.

Conceição Neto não precisou número de vítimas por Tala mas, disse que diariamente morre muita gente com este fenómeno feiticista:

“Tem a ver com o fenómeno da feitiçaria específicamente do fenómeno da Tala. Morre muita gente de tala então, queriamos aqui perguntar aos nossos papás, as nossas mamãs, o quê que podemos fazer para acabar com este fenómeno. Quando é doença, sabemos que sim morreu de paludismo, tuberculose e agora, o quê que vamos fazer! E diariamente as famílias são assoladas com este fenómeno da tala. Papás, acudam as famílias. Vocês é que são as autoridades tradicionais. Vocês é que têm esta competência de velar por isso”.

Outro fenómeno que inquieta o sector feminino na província tem a ver segundo São Neto, com casos de violação sexual a menores e incesto que para a responsável da família tem também a ver com a indecência de muitas mulheres sobretudo adolescentes:

“Outro fenómeno também é da violação de menores. Estão a violar muito, muito mas muito. Agora são casos e casos que estamos sempre a receber e os casos as vezes não são denunciados. Os pais a violarem as suas filhas, entre irmãos, os tios e não se consegue denunciar, as mulheres não cconseguem denunciar porque têm receio de como é que vão sustentar a família se o marido, se o dono da casa fôr para cadeia. O quê que vamos fazer! Que medidas vocês nos podem auxiliar para fazer com que as famílias estejam a viver mais em harmonia. Os filhos estão a ficar transtornados, o vestuário das meninas que também pode ser uma incitação para a violação sexual. O quê que nós vamos fazer! Todos vamos dar as mãos para combater esta grande enfermidade, isto é uma pandemia social. As mães estão aflitas, diariamente recebemos estas queixas, estas preocupações”.



A soba Madalena Chilombo apesar de representar a autoridade máxima nas comunidades, também é mãe e disse ter ganho do encontro, métodos que a poderão ajudar a disciplinar seus filhos e adultos no que tange aos maus vícios e desencorajar aqueles que acusam crianças de feiticeiras:

“E com esta experiência, a retirada dos maus vícios. Os nossos filhos mal vestem na rua. A invenção de feitiçaria nas crianças de menor idade”.



Ainda não há números exactos mas, no Kwanza-Sul já foram notificados ano passado mais de quinhentos casos de violação sexual a menores e mais de cem de acusações de feitiçaria a menores de idade.
Ler mais
Vídeos
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
Opiniões
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Entrevistas
Facebook Youtube Twitter Contacto
Subscreva Newsletter
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicacão e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
©  Copyright 2002-2013
Sexta-feira, 25 de Maio de 2018