UNITA - ANGOLA
Uma efeméride como esta merece, obviamente, ser comemorada com todo o nosso entusiasmo e alegria. Porque 48 anos não são uma idade qualquer! Representam um marco na história do nosso país. A nossa LIMA chega a ser três anos mais velha que a própria Mãe-Pátria Angola; o que significa, desde logo, que as combatentes da LIMA inscreveram igualmente os seus nomes na epopeia de libertação e conquista da nossa Independência. Sem sombra de dúvidas, um nobre e valoroso contributo que ninguém deve escamotear e a História registou.
26/05/2017
O país africano vive um momento histórico frente as próximas eleições, que marcarão o rumo que tomará o Governo angolano para sair da crise actual

BILBAO- Angola é um país que, com todas suas forças tenta deixar para trás um presente de extrema pobreza que se agravou durante os últimos anos devido à queda do preço do petróleo. Entre outros, regista a taxa de mortalidade infantil mais elevada do Mundo em crianças menores de cinco anos. Perante esta situação, Isaías Samakuva, Presidente do principal partido da oposição, a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), opina que o país vive um momento histórico de transição, cujo futuro se aclarará nas próximas eleições de 23 de Agosto. Nelas, o actual presidente da República, José Eduardo dos Santos, não estará presente entre os candidatos, depois de 40 anos à testa do Governo angolano, apoiado pelo Movimento Popular para a Libertação de Angola (MPLA). Samakuva está estes dias em Euskadi e entre outros, foi recebido pelo Presidente, Iñigo Urkullu, pela Presidente do Parlamento, Bakartxo Tejera e pelo Presidente do EBB do Partido Nacionalista Vasco, Sr. Andoni Ortuzar.

P: Com as eleições a volta da esquina, poderia dizer-se que Angola está a viver um momento histórico?

R: A vida dos países tem momentos mais importantes do que outros e, certamente, agora mesmo em Angola, estamos a viver um desses momentos: um momento histórico. Precisamente, vivemos um momento de transição de uma era a outra, mais nova. Viemos de uma era que foi dominada pelo MPLA e pelo Presidente José dos Santos; de uma era em que os princípios democráticos foram sempre violados de maneira consciente; de uma era em que o respeito dos direitos humanos não era completos. Mas como eu já disse, estamos num momento histórico, um momento de transição e temos que trabalhar para que esta oportunidade de mudança não escape.

P: Para isso, quais são os desafios políticos que Angola tem que afrontar?


R: São vários, mas, talvez, um dos principais, seja conseguir uma abertura democrática que permita ao povo angolano expressar-se livremente dentro do estabelecido pela lei. E nem podemos esquecer-nos da necessidade imperiosa de mudar a atitude dos governantes; estes tem que aprender que são servidores do povo e não ao contrário.

P: E no âmbito social?

Um dos grandes desafios de Angola, é acabar com a fome e a pobreza. O povo angolano vive numa miséria extrema e necessita que se levem a cabo acções concretas, para sair desta situação. Na UNITA, nós acreditamos, firmemente que com um governo que trabalhe para o bem do povo e não para os governantes, poderemos resolver rapidamente este e outros problemas sociais, porque Angola e um país potencialmente rico.

P: Em petróleo, se não me engano.

R: Sim, mas não só. Por exemplo, só no sector mineiro, temos uma série de minerais como o ouro, o cobre, fosfatos, uranio, níquel, etc. E noutros âmbitos também temos oportunidades importantes. Precisamente, que praticamente toda a economia angolana se tenha assente no petróleo, e um dos principais problemas ao nível económico, porque além de ser um produto muito volátil, cujas consequências já sofremos em mais de uma ocasião, algum dia esgotará. Por isso, temos que sair do modelo actual e diversificar a nossa economia para aproveitar outros recursos e rendimentos, daqueles de que dispomos, tais como o sector agrícola, o mineiro, o dos serviços, o turismo etc, etc. Desta maneira, se resolverão grande parte dos problemas sociais. Angola tem condições fantásticas para sair da crise em que esta mergulhada.

P: E porque é que até agora não se tomou esse caminho?

R: Porque o actual governo é corrupto e além disso distraiu-se, fixando-se só no petróleo. Porquê? Porque parece mais fácil obter dinheiro dele. Mas não podemos jogar a nossa economia com uma só carta, enquanto temos muitas mais.

P: Qual e a primeira medida que tomaria se alcança a presidência?

R: Desenvolver cinco áreas importantes para melhorar a vida dos angolanos. Estas seriam fomentar o emprego, desenvolver serviços sanitários, melhorar o sistema educativo, solucionar o problema da vivenda e conseguir direitos laborais para que todos os angolanos possam ter a possibilidade de viver com dignidade.

P: Relativo a cidadania, como estão a viver os angolanos este momento de mudança?

R: Os cidadãos estão completamente cansados do regime actual e expressam, abertamente, a sua vontade de participar em eleições que estejam isentas de fraude. Ainda mais agora que o povo angolano sabe que o governo actual nunca cumpriu as suas promessas. Por isso, eu diria que estão preparados para culminar com este processo de transição; do nosso lado, vamos trabalhar para abrir a porta à mudança, impedindo a fraude eleitoral.

P: Que papel teria que tomar a Comunidade Internacional, respeito a essas eleições?

R: A Comunidade Internacional tem que jogar um papel de grande importância, mas com cabeça e com o fim de conseguir o bem para Angola, mediante uma transição que se faça em tranquilidade e não ao desde um ânimo fiscalizador. Sobretudo, tem que ajudar a que estas sejam realmente umas eleições livres, sem fraude eleitoral. Para isso, tem que acompanhar todo o processo e também exercer um papel observador. Tudo isso ajudará a conseguir a estabilidade e a paz, é precisamente isso o que todos desejamos, porque a Comunidade Internacional em geral tem um grande interesse em Angola. Mas isso, sim: só se Angola for um país estável e em paz.
Em destaque
10/07/2020
02/07/2020
Confirmou o porta-voz dos Angolanos retidos em Portugal, Sérgio Rodrigues, que falava ao Telejornal desta quarta-feira, 01 de Julho de 2020, depois do encontro entre os representantes dos angolanos e o Embaixador de Angola em Portugal, Carlos Alberto Fonseca.
O Ministério Público (MP) pediu, esta terça-feira, 30 de Junho de 2020,
Tribunal uma pena de dez anos de prisão para o ex-governador do Banco
Nacional de Angola (BNA), Valter Filipe, e para o antigo director do
Departamento de Gestão de Reservas do BNA, António Bule Manuel,
ambos em julgamento no “Caso 500 milhões”.
O dado foi avançado ontem, 09 de Julho de 2020, pelo Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Pedro Sebastião, quando apresentava o estado actual do Estado de Calamidade em Angola imposto pela Pandemia da Covid-19.
As Cerimónias de outorgas aconteceram nesta semana (30.06.2020) em Luanda, onde vários jovens angolanos destacados pelo talento e excelências foram premeiados na presente edição 2019/2020, nas diferentes áreas nomeadamente no desporto, Economia e Negócios, Promoção Internacional, Política e Sociedade, Cultura e Artes, Entretenimento, Comunicação Social, Ciência e tecnologia, e a categoria de Destaque Académico.
Circularam, há dias, nas redes sociais informações ainda não confirmadas pelas autoridades sanitárias, dando conta de que pacientes internados na unidade sanitária, recentemente inaugurada e vocacionada ao atendimento de casos da Covid-19, localizada no quilómetro 27, passavam por inúmeras dificuldades.
O Governo angolano determinou, esta quinta-feira, a suspensão da cobrança de propinas em todas as instituições de ensino públicas, público-privadas e privadas.
1. O BLOCO DEMOCRÁTICO, BD, conclama todas as forças políticas democráticas, todas as organizações nacionais e internacionais que se inscrevem na área dos Direitos Humanos, da Paz e da Democracia, todos os cidadãos livres, a exprimirem a sua clara e inequívoca indignação pelo esbulho de que foram vitimas aproximadamente 400 (quatrocentas) famílias do BAIRRO DAS SALINAS, em Benguela, na manhã do dia 24 de Junho, quarta-feira, viram as residências por eles construídas serem demolidas por indivíduos protegidos por elementos das FAAs e da PN, esta última integrada também pela sua brigada canina, bem como a exigir a reparação dos danos materiais e morais sofridos pelas vitimas deste acto cobarde e ignóbil.
O Banco de Poupança e Crédito (BPC) anunciou hoje terça-feira, 30 de
Junho de 2020, o encerramento, a partir de 13 de Julho do corrente ano,
de 106 agências e postos de atendimento no país, no quadro do seu
programa de redimensionamento.
Eco do Partido
Campo do militante
O Presidente da UNITA, Isaías Samakuva, trabalhou esta quarta-feira 26 de Julho de 2017, na capital do Bengo, Caxito, tendo discursado para as populações locais.
A filha do Presidente Fundador da UNITA, Dr. Jonas Savimbi, Nginga
Savimbi, escreveu este, domingo, 28 de Junho de 2020, para o Club-k,
afirmando que “Elas riam-se de nós quando defendíamos o nosso Pai”!
Achavam bem denigrir a imagem de quem não se podia defender!
Não nos deixaram chorar o nosso Pai no tempo devido!
“Elas riam-se de nós quando defendíamos o nosso Pai” – Ginga Savimbi
Intolerância
Palavra do Presidente
O Presidente da UNITA, Eng. Adalberto Costa Júnior, teve na tarde desta segunda-feira 13 de Julho de 2020, uma audiência com o Coordenador da Comissão Multissetorial de Prevenção e Combate à Pandemia da Covid-19, em Angola, General Pedro Sebastião.

De acordo com uma nota de imprensa da presidência da UNITA, esteve no centro da audiência, entre Adalberto Costa Júnior e Pedro Sebastião, a partilha de dados pelo líder da UNITA e a apresentação de preocupações de cidadãos relativa às condições em alguns centros de internamento.

“Foi também abordada a manutenção da cerca à Luanda e o seu impacto negativo na sustentabilidade das empresas e a estabilidade das famílias perante o risco de desemprego para elevado número de trabalhadores”, adianta a nota.

A fonte avança que a pandemia obriga todos à tomada de cuidados sanitários, sendo, porém, necessário abraçar medidas que não paralisem o funcionamento das instituições e da economia.

De salientar que Angola registou nas últimas 24 horas mais 19 novos casos positivos, elevando para 525 o número total de infectados, dos quais 26 óbitos, 118 recuperados, 381 activos. Os casos de transmissão local totalizam 459.

A testagem aleatória prosseguiu nesta segunda-feira com trabalhadores de órgãos de comunicação social públicos. De um universo de mil e quinhentos testados, 58 foram declarados reactivos.
grupo parlamentar 
O Secretário para a Comunicação e Imagem da Presidência da UNITA, Lourenço Bento felicitou o galardoado, considerando que o prémio era merecido a julgar pela dinâmica do jovem líder.

“O prémio era merecido, porque quem acompanha o percurso do Nelito Ekuikui sabe que desde que despontou como jovem talentoso, tem abraçado com energia os desafios para os quais tem sido chamado. Lembramo-nos bem que um dos maiores desafios colocado à sua frente foi quando chamado para dirigir os destinos da RE de Belas em Luanda, onde, à testa de uma equipa também de jovens, tratou de desbravar o terreno, conseguiu implantar o Partido, chegou a ser cabeça de lista da UNITA em Luanda e conseguiu ser eleito, estando na Assembleia Nacional como deputado mais jovem”, afirmou.

De acordo com o Secretário para a Comunicação da Presidência, “Nelito Ekuikui é alguém dotado de grandes potencialidades, tem aspectos muito interessantes na sua personalidade que têm muito a ver com a forma como ele trabalha. E eu penso que essa maneira de ser, essa entrega às causas colectivas, não apenas políticas, sociais, também e económicas, terão pesado muito na avaliação feita pelo Juri”.

Destacou o facto de o jovem Deputado preocupar-se muito com a cidadania e com a situação social das populações.

“Temos acompanhado as suas intervenções quando se pronuncia na Assembleia Nacional, nos órgãos de comunicação social, a tónica que dá à defesa dos interesses dos cidadãos”, disse.

Loureço Bento considera positivo que a avaliação tenha caído a favor de Nelito Ekuikui, pela forma como trabalha que lhe tem granjeado imensas simpatias no seio da sociedade, especialmente na camada jovem de Luanda e não só.

“Tocou-me profundamente quando ele dedicava o seu prémio à sua mãe, senhora Filomena que conhecemos bem em vida, pela educação para vida. É uma nota bastante importante, porque na verdade os filhos devem prestar atenção aos seus pais”, tendo considerado a progenitora de Nelito Ekuikui “uma senhora á altura da missão de educar bem os seus filhos”.

O Secretário da Presidência da UNITA, falando na condição de experiente e conselheiro dos mais novos deixou incentivo e recomendação.

“Uma nota gostava de deixar aqui, é uma chamada de atenção aos jovens para que aproveitem enquanto estiverem os seus pais em vida. Os conselhos que os pais e as mães transmitem aos filhos servem de guia para a vida. Aqueles que não conseguirem apreender, absorver os conselhos, os ensinamentos dos pais enquanto estão em vida, terão dificuldades, amanhã, de descobrir o caminho para a vida, quando os pais já não existirem. Portanto, é importante que se preste atenção ao que nos dizem os nossos mais velhos, as nossas mais velhas”.

Depois de uma análise bastante profunda e reflexiva, o responsável concluiu, reiterando os seus parabéns para Manuel Armando da Costa Ekuikui.

“Parabéns, Nelito Ekukui e aos demais jovens premiados nas mais diversas categorias”, concluiu.
L.i.m.a - actividades
A UNITA, na província do Bié- Kuito, aposta em candidaturas de mulheres para as Autarquias Locais, afirmou esta quinta-feira a presidente da LIMA, organização feminina daquele partido, na região, Filomena Febe.

Ao falar durante o acto de abertura da Conferência Provincial Preparatória do IV Congresso Ordinário da LIMA, Filomena Febe reafirmou a realização das autarquias em todos os municípios do país.

No quadro da Conferência Provincial, Filomena Febe referiu que durante dois dias, o evento vai eleger 50 delegadas ao Congresso Ordinário da LIMA, a realizar-se em Luanda, ainda este ano.

Para o primeiro secretário da UNITA no Bié, Adérito Jaime Candumbo, destacou o contributo da organização feminina na região e encorajou o combate às desigualdades sociais.

O encontro está a debater, entre outros temas, a implantação e crescimento da organização, bem como a evolução da situação política, económica, social, cultural do país.

Fonte: Angop
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Ex-Presidente da UNITA (2003-2019)
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicacão e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
©  Copyright 2002-2020
Terça-feira, 14 de Julho de 2020