UNITA - ANGOLA
O regime angolano manifestou irritação com algumas empresas baseadas, em Benguela, por terem aceite fazer prestação de serviços para hospedagens, rente-A-Car, e montagem de material para um comício da UNITA, realizado neste final de semana, naquela localidade, em homenagem ao nascimento de Jonas Savimbi.
28/11/2022
De acordo com a nota de repúdio a que tivemos acesso na página do facebook do Presidente da UNITA Eng. Adalberto Costa Júnior, nesta sexta-feira, 25 de Novembro de 2022, o documento condena veementemente os agravados nos últimos anos do regime no poder, numa clara e grosseira violação aos fundamentos do Estado Democrático e de Direito.

Segundo a nota do Secretariado da Comunicação e Marketing da UNITA vem, por este meio, condenar veementemente a onda de perseguições, assaltos, torturas e outras violações dos direitos humanos que se registam em Angola, agravados nos últimos anos do regime no poder, numa clara e grosseira violação aos fundamentos do Estado Democrático e de Direito.

Acrescenta, ainda que o rol de atentados a vida, às liberdades e aos direitos fundamentais em Angola, deve preocupar qualquer patriota e democrata de sã consciência, pois um país que há 30 anos consagrou o multipartidarismo, o Estado Democrático e de Direito, não pode continuar a perseguir, torturar, prender e assassinar quem pense diferente. Um Estado Democrático e de Direito não pode ter presos políticos.

Os activistas cívicos, Luther Campos e Ta Naice Neutro, detidos há mais de 10 meses e mantidos em prisão mesmo depois do competente mandado de soltura, são provas da mentalidade monolítica e d cultura de violação dos direitos civis e políticos. Os recentes actos de torturas e esfaqueamento de Ludmila Pinto, esposa do Jornalista Cláudio Pinto, com ameaças de morte ao seu filho menor de apenas um (1) ano de idade, são evidências da podridão do regime.

A UNITA, por meio do seu Grupo Parlamentar, já condenou vivamente estes actos e levou ao Parlamento Angolano, na sua sessão plenária realizada nesta quinta-feira, 24 de Novembro de 2022, uma proposta de Voto de Protesto para que a Assembleia Nacional manifestasse a sua solidariedade à família da vítima de sevícias, condenasse tais actos para transmitir uma mensagem de unidade, desencorajar tais práticas e exigir a responsabilização nos termos da Constituição e da Lei.

A não aprovação do Voto de Protesto pelos deputados do Grupo Parlamentar do MPLA é prova da insensibilidade e falta de humanismo dos dirigentes do regime e do seu aval às velhas práticas antidemocráticas de perseguição e silenciamento das vozes opostas.

A UNITA considera absurda e preocupante a utilização de instituições do Estado para negar a solidariedade aos cidadãos que vezes sem conta vêem seus direitos violados.

A UNITA vai continuar a denunciar todos os actos atentatórios à vida e à dignidade da pessoa humana, e tudo fará para que as instituições do Estado sirvam o cidadão e não os interesses inconfessos de grupo.

A UNITA insta as autoridades competentes a trazerem à luz os autores deste e de outros actos praticados contra cidadãos no usufruto dos seus direitos.

Luanda, 24 de Novembro de 2022

O Secretariado da Comunicação e Marketing da UNITA
Em destaque
21/11/2022
15/11/2022
Sob o lema: “Perseverar para vencer”, nos dias 18 e 19 de Novembro de 2022, nas instalações do Partido no SOVSMO, em Luanda, teve lugar a II Reunião Ordinária da Comissão Política da UNITA.
A independência de Angola, que é um direito inalienável de todos os povos, foi sonhada e alcançada ao preço de muitos sacrifícios ao longo de lutas seculares. Ela deve ter como substância, em primeira instância, o resgate de tudo, de essencial, que, ontem, o colonialismo usurpou e destruiu isto é, a terra, a cultura e a liberdade.
Professores do ensino geral entraram de novo em greve esta terça-feira, dia em que os alunos começariam uma nova ronda de exames. Paralisação levou grupo de sete estudantes a decretar greve de fome de 15 dias.
Os graves atropelos à Constituição e à Lei que vêm marcando o julgamento do conhecido ‘caso 500 milhões’, em que estão arrolados o antigo governador do BNA, Valter Filipe e José Filomeno dos Santos ‘Zenu’, filho varão do malogrado Presidente José Eduardo dos Santos, somam e seguem nos Tribunais Superiores.
O Sindicato Nacional de Professores (SINPROF), considera um sucesso a segunda fase da greve dos professores que se iniciou esta terça-feira, 6 e que está a provocar expressões de descontentamento por parte de estudantes e encarregados de educação.
Lisboa - Constituída aos 19 de Março de 1999, a empresa FREIMAR - Construção Civil, Limitada, detida pelo empresário angolano Marcos Barros da Fonseca é citada num memorando independente sobre praticas de corrupção e divisas falsas em Angola, como tendo ficado com 85 milhões de dólares americanos que seriam para reabilitação de estradas no interior do país. As obras não foram realizadas, e na era da governação de João Lourenço, as referidas estradas (das vilas de Nzagi, Lucapa, Dundo e as respectivas ligações) tiveram se der intervencionadas pela Omatapalo, MotaEngil e uma empresa chinesa sem nenhuma participação da Freimar, lda, quer como empreiteiro, quer como subempreiteiro.
Segundo o Club-k na sua edição desta terça-feira, 06 de Novembro de 2022, os jornalistas angolanos vão manifestar-se no próximo sábado, 17, para repudiarem os ataques à imprensa nos últimos dias. Em menos de 15 dias a sede do Sindicato dos Jornalistas Angolanos foi saqueada por duas vezes. Outros profissionais têm sido vítimas de ataques e ameaças por pessoas ainda não identificadas.
Segundo a Angop na sua edição desta segunda-feira, 05 de Dezembro de 2022, o Sindicato Nacional dos Professores (Sinprof) anunciou, esta segunda-feira, o início, a partir de terça-feira, da segunda fase da greve nacional do ensino geral.
Eco do Partido
Campo do militante
Segundo o Club-k na sua edição desta terça-feira, 03 de Agosto de 2021, se fosse vivo, Jonas Savimbi faria hoje 87 anos. A falta de água potável, de estradas e de saneamento básico sempre foi atribuída ao fundador da UNITA. Houve alguma mudança em Angola desde que o líder da oposição morreu?
No limiar do ano 2001, Jonas Savimbi tinha um plano de paz bem assente e por isso chamou para ir ao seu encontro o General Lukamba Gato que se encontrava nas áreas do Lwandu (a Sudeste da província de Malanje), para em conjunto com o General Dembo, Mais Velho A. Sakala e os outros membros da Direcção do Partido e das FALA que já se encontravam na caravana presidencial, e os representantes no exterior esmiuçarem e materializarem esse plano.
Intolerância
Palavra do Presidente
Segundo divulgou na sua página do facebook o Presidente da UNITA, Eng. Adalberto Costa Júnior, esta quarta-feira, 30 de Novembro de 2022, na qualidade de Vice-presidente da Internacional Democrática do Centro (IDC), participei na reunião do Comité Executivo, realizada no dia 26 de Novembro, no Panamá.

De acordo com o Presidente da UNITA Adalberto Costa Júnuir, informou que, “Durante o encontro, debatemos as questões mais candentes da política mundial, começando pela situação da guerra Russia-Ucrânia, as violações dos direitos humanos em Cuba e no México e as tragédias no Irão”.

O responsável acrescentou ainda que, “Debatemos também a questão do retrocesso democrático em alguns países do Mundo, inclusive as violações à lei de forma sistemática pelo Governo Angolano, liderado por um Partido-estado que atenta todos os dias contra a democracia”.
grupo parlamentar 
O Plenário da Assembleia Nacional (AN) “chumbou”, esta quinta-feira, um requerimento do Grupo Parlamentar da UNITA, solicitando um voto de protesto contra actos alegadamente praticados contra a cidadã Ludmila Pinto, esposa do jornalista e activista Cláudio Pinto.

O “chumbo” teve lugar durante a 2ª Reunião Plenária Ordinária da 1ª Sessão Legislativa da V Legislatura da AN, orientada pela presidente deste órgão de soberania, Carolina Cerqueira.

O deputado Esteves Hilário, do MPLA, disse, a propósito, que se o plenário votasse favoravelmente o requerimento da UNITA, seria aberto, na história do Parlamento, um precedente absolutamente preocupante.

Para o deputado, num país com mais de 30 milhões de habitantes há indivíduos que diariamente são vítimas de assaltos, notando que esses indivíduos são tão cidadãos quanto a cidadã que foi objecto deste requerimento".

Aclarou, contudo, "que isto não quer dizer que não nos solidarizemos com a situação".

Na óptica do deputado, a Assembleia Nacional não é e não pode ser tratada como uma esquadra policial, onde os cidadãos fazem queixas sobre factos que lhes tenham ocorrido.

De igual modo, o deputado Paulo de Carvalho, também do MPLA, ressaltou que o grupo parlamentar do seu partido é também contra a violência, para quem o assunto em apreço não é de natureza política, "é um assunto que deve ser encaminhado às autoridades policiais".

"Todos nós estamos sujeitos à violência por parte de quem quer que seja, nós próprios ao nível do nosso Grupo Parlamentar tivemos, em tempos, um caso de um deputado que foi raptado e, recentemente, este ano, o caso de um deputado que foi baleado", aferiu.

O deputado espera que, no caso do requerimento apresentado pela UNITA, as autoridades policias façam devidamente o seu trabalho.

Segundo o requerimento, a cidadã Ludmila Pinto, esposa do jornalista e activista Emanuel Pinto, foi vítima de perseguição e três agressões físicas (esfaqueamento) com objectos cortantes.

A última agressão, nota o documento, ocorreu no dia 21 de Novembro deste ano em plena luz do dia, na via pública.

L.i.m.a - actividades
Sob o Lema: “LIMA pela Dignidade, Solidariedade e Equidade do Género”, os membros do comitê nacional da LIMA no Bengo, participaram da segunda reunião do Comitê Nacional da LIMA no dia 03 de Dezembro de 2022 que teve lugar no complexo Sovsmo.

No seu discurso aos presentes na reunião, a Vice-Presidente da UNITA, Arlete Tchimbinda reconheceu o papel da Organização na dinamização do partido, particularmente nos 5 pleitos eleitorais que o País realizou.

“As energias da mulher enquadrada na LIMA têm sido canalizadas para as tarefas de mobilização para o crescimento do partido, e busca de apoio ao Projecto Política da UNITA, ao que designamos de mobilização para o voto”.

“Tem sido crucial este papel, e este foi demonstrado nos cinco (5) pleitos eleitorais que o nosso país conheceu. Vimos mulheres a arriscarem inclusive as suas vidas, a sacrificarem os seus lares, a adiarem os seus projectos; no cumprimento da nobre missão, de trazer para a causa da UNITA, cada vez mais simpatia, cada vez mais popularidade, e cada vez mais votos”, disse a responsável.

Para Arlete Chimbinda, “qualquer força política que, aspira o poder, deve conquistar o apoio e a confiança das mulheres”, apelou, para quem, “o apoio e a confiança das mulheres não se limitam ao objectivo de mobilizar os cidadãos, para votarem para votarem na causa que defendemos; estes devem igualmente visar o engajamento desta franja significativa da sociedade, nas missões de coordenar, dirigir, decidir e executar as tarefas do partido e dos órgãos do Estado aos diferentes níveis”.
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Ex-Presidente da UNITA (2003-2019)
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicacão e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
©  Copyright 2002-2020
Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2022