UNITAANGOLA
Fonte : KUP
Novas leis e preço do Petróleo levam companhias a apostar em Angola
Petroleo-Angola (1).jpg
O analista da consultora especializada em energia WoodMackenzie Adam Pollard disse hoje √† Lusa que as companhias petrol√≠feras ‚Äúest√£o novamente a olhar para Angola‚ÄĚ devido aos pre√ßos do petr√≥leo e √†s reformas lan√ßadas pelo Governo.


‚ÄúNo √ļltimo ano Angola virou a p√°gina, o pa√≠s est√° a tentar atrair mais investimento para evitar o decl√≠nio da produ√ß√£o de petr√≥leo prevista para os pr√≥ximos anos, e h√° sinais de que as companhias est√£o novamente a olhar para Angola e a sentirem-se mais confort√°veis em investir no pa√≠s‚ÄĚ, disse Adam Pollard.


Em entrevista √† Lusa a prop√≥sito das perspectivas de evolu√ß√£o do sector petrol√≠fero em Angola, o analista explicou que ‚Äútal como noutros pa√≠ses africanos, a produ√ß√£o est√° a cair h√° uns tempos, e espera-se que caia ainda mais‚ÄĚ, e da√≠ os esfor√ßos para atrair investimento externo que possa inverter a situa√ß√£o.


‚ÄúVimos alguns projectos sancionados pela francesa Total no bloco 17 no √ļltimo ano, talvez a BP e a ENI fa√ßam o mesmo este ano, portanto h√° v√°rios sinais‚ÄĚ de interesse das maiores petrol√≠feras no pa√≠s‚ÄĚ, disse, notando que a explora√ß√£o √© predominantemente na costa e a grande profundidade.


‚ÄúAngola √©, por natureza, um dos s√≠tios mais caros para desenvolver petr√≥leo, quase sempre em √°guas ultraprofundas, e por isso quando os pre√ßos desceram, em 2014, foi um dos mais afectados, mas agora h√° mais confian√ßa n√£o s√≥ na estabilidade dos pre√ßos do petr√≥leo, mas tamb√©m houve muito trabalho feito pela Sonangol e pelo Governo para melhorar o ambiente de neg√≥cios‚ÄĚ, disse.


Questionado sobre quais as medidas mais importantes para restabelecer a confian√ßa dos investidores no pa√≠s, Adam Pollard elencos os decretos presidenciais para acelerar as aprova√ß√Ķes, as medidas de combate contra a burocracia que estava associada √° ind√ļstria petrol√≠fera, as leis para incentivar a explora√ß√£o dos campos marginais mais pequenos e a nova lei que equipare a explora√ß√£o do g√°s √† do petr√≥leo.


Sobre a meta de 1,4 milh√Ķes de barris por dia, que Angola estabeleceu para este ano, Pollard disse que √© ‚Äúuma meta razo√°vel‚ÄĚ, explicando que ‚Äúmuitos dos po√ßos est√£o na fase de maturidade, quando a produ√ß√£o come√ßa a cair, e h√° novos projectos para aumentar a produ√ß√£o, mas Angola precisa de sancionar mais v√°rios projectos para serem sancionados e come√ßarem a funcionar nos pr√≥ximos meses‚ÄĚ.

Lusa
www.unitaangola.org
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
Opini√Ķes
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Entrevistas
Facebook Youtube Twitter Contacto
Subscreva Newsletter
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicac√£o e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
¬©  Copyright 2002-2013
Segunda-feira, 18 de Fevereiro de 2019