UNITA - ANGOLA
Fonte :
KUP
Manifestantes desvalorizam apelos de Paulo de Almeida e saem à Rua
Policia Usa Excessos de-Violencia-para-travar-manifestacao.jpeg
Nem mesmo com as restrições de circulação rodoviária que se verificaram nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira, 11 de Novembro de 2020, com a Polícia a interditar cidadãos, fazendo revistas, conseguiu-se impedir que os manifestantes saíssem à rua.

O largo do cemitério da Santa-Ana, local previsto pelos activistas como sendo o de concentração, foi o primeiro a ser tomado de assalto pelas forças da ordem, com a Polícia de Intervenção Rápida a dispersar os cidadãos que circulavam por aquele local.

Frustrada a intenção de concentrar-se no largo do cemitério da Santa-Ana, os activistas usaram a avenida Brasil como o local da marcha, num percurso, que tiveram que passar pelo Hospital Américo Boa-Vida, onde um braço-de-ferro entre manifestantes e a Polícia, resultou em vários feridos, dentre eles Nito Alves e Laurinda Gouveia, detenção de cidadãos, e uma morte ainda por se confirmar.

No entanto das fontes noticiosas a KUP registou duas mortes, entre as quais uma por se confirmar.

Para dispersar os manifestantes, foram registadas balas reais, usadas pela Polícia Nacional e gás lacrimogéneo.

Esta semana, o Comandante Geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, terá apelado aos cidadãos a não aceitarem juntar-se aos jovens que pretendiam realizar manifestação no Dia da Independência, um apelo que acabou por ser desvalorizado pelos promotores da manifestação, que, contra todos os repúdios, saíram hoje à rua.

Fonte: KUP/ Correio da Kianda
www.unitaangola.org
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Ex-Presidente da UNITA (2003-2019)
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicacão e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
©  Copyright 2002-2020
Terça-feira, 01 de Dezembro de 2020