UNITA - ANGOLA
Fonte :
KUP
Líder do MEA acusa Magnífico Reitor da UAN de agir como um Político
Francisco-Teixeira-Presidente-do-MEA (2).jpg
O Magnífico Reitor da Universidade Agostinho Neto está a ser denunciado de proibir os estudantes desta Universidade a homenagearem o jovem manifestante Inocêncio Matos, estudante de 26 anos de idade que frequentava o 3º ano do Curso de Engenharia na Universidade Agostinho Neto, que foi morto brutalmente pela polícia quando participava na manifestação de 11 de Novembro de 2020.

O líder do MEA diz ter dirigido uma carta ao Ministério do Ensino Superior a solicitar que não pusesse dificuldades aos estudantes da Universidade Agostinho Neto que quisessem manifestar a sua homenagem ao colega, assassinado brutalmente pela polícia na última manifestação do dia 11.

“Surpreendentemente o reitor da Universidade Agostinho Neto, mesmo depois de nós ter anunciado que havia muitos estudantes à nível das faculdades, ou da Universidade Agostinho Neto, que pretendiam fazer, tirou uma nota a proibir o uso de roupa preta durante a semana, em todas as faculdades, ou seja na Universidade Agostinho Neto, proibiu todas as homenagens na Universidade Agostinho Neto, a favor do jovem brutalmente morto pela polícia”, afirmou Francisco Teixeira.

Francisco Teixeira, Presidente do MEA – Movimento dos Estudantes Angolanos, que denunciou o facto a Comunicação Social reprovou a atitude do Reitor da Universidade, e considera que o mesmo, age como um político.

“Nós deparámo-nos com este comunicado, com essa posição do reitor como um terror, parecia-me que estamos a ver o ditador Chileno Pinochet. O magnífico reitor da Universidade Agostinho Neto age como um político, e nós não vamos aceitar que as universidades continua sendo instrumentalizadas pelo poder político”.

Segundo Francisco Teixeira, o Director do Instituto Superior para as Tecnologias da Informação e Comunicação, o ISUTIC, também teve a mesma postura do reitor da UAN, e caracterizou de infeliz.

“E, nesta mesma posição infeliz também está o Director do Instituto Superior para as Tecnologias da Informação e Comunicação, o ISUTIC, também fez sair um comunicado aos seus estudantes que não podiam fazer qualquer homenagem no recinto escolar, dando a entender que as Universidades, as faculdades públicas foram construídas com herança do dinheiro familiar ou herança desses responsáveis escolares”.

O responsável encoraja aos estudantes a realizarem as homenagens livremente a favor do seu colega, assegurando que, e desencoraja a atitude do responsável da UAN.

“Nós apelamos aos estudantes que façam as homenagens que se vistam de preto, porque o reitor não pode proibir as pessoas de vestir preto, esse não é o caminho para a Reconciliação Nacional, esse não é o caminho para o progresso; esse não é o caminho para o crescimento deste país”.

“Por isso nós apelamos aos estudantes para realizar as homenagens, quem sentir que deve fazer diante da escola que faça, quem sentir que deve fazer fora da escola que faça, e vamos entrar todo nesse jogo do gato e o rato, entre nós e a universidade”, disse.

Em caso de qualquer dos Estudantes da universidade pública mencionada sofrer ameaça Francisco Teixeira aconselha a estes a denunciarem o facto ao MEA.

“E, qualquer estudante que se sentir ameaçado, coagido depois de realizar o acto solidário em homenagem ao nosso colega pode contactar o Movimento de Estudantes Angolanos, e vamos entrar nesse jogo com a Universidade Agostinho Neto; esse jogo do gato e o rato”.

Reagindo a acusação o Reitor da Universidade Pública, manifestando-se inocente, diz não ter contacto com o MEA, e defende que a Universidade tem estudantes ligados ao MEA.

www.unitaangola.org
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Ex-Presidente da UNITA (2003-2019)
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicacão e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
©  Copyright 2002-2020
Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020