UNITA - ANGOLA
Fonte :
Club-K.nete angola
Cientistas sul-africanos encontram variante "mais transmissível" em Angola
Cientistas Sul Africano.jpg
Cientistas sul-africanos descobriram a variante "mais transmissível" do novo coronavírus SARS-Cov-2 na primeira sequenciação genómica realizada com amostras recolhidas em Angola, foi este domingo anunciado.

A variante foi descoberta no m√™s passado em tr√™s cidad√£os tanzanianos, em Angola, disse o professor T√ļlio de Oliveira, que lidera a equipa de cientistas sul-africanos da Universidade do KwaZulu-Natal, especialistas em inova√ß√£o e sequenciamento gen√≥mico, que realizou o estudo.

Angola contabiliza 22.579 casos de infeção do novo coronavírus e 540 mortes associadas à covid-19, segundo o centro de monitoria global da doença pandémica da Universidade John Hopkins.

"Quando comparada com outras variantes de preocupa√ß√£o (VOC, na sigla em ingl√™s) e variantes de interesse (VOI, na sigla em ingl√™s), esta √© a mais divergente", disse T√ļlio de Oliveira, salientando que a descoberta foi relatada como sendo "um novo VOI dada a constela√ß√£o de muta√ß√Ķes com significado biol√≥gico conhecido ou suspeito, especificamente resist√™ncia a anticorpos neutralizantes e transmissibilidade potencialmente aumentada".

"Embora tenhamos detetado apenas tr√™s casos com esta variante, isto justifica uma investiga√ß√£o urgente, pois o pa√≠s de origem, a Tanz√Ęnia, tem uma epidemia em grande parte n√£o documentada e poucas medidas de sa√ļde p√ļblica em vigor para prevenir a propaga√ß√£o dentro e fora do pa√≠s", explicou T√ļlio de Oliveira ao seman√°rio sul-africano Sunday Tribune, que se publica em Durban, litoral do pa√≠s.

Os cientistas sul-africanos da Plataforma de Inova√ß√£o e Sequenciamento de Pesquisa KwaZulu-Natal (KRISP, na sigla em ingl√™s), sublinharam que a nova variante "n√£o foi ainda reportada em nenhum outro pa√≠s", nomeadamente na √Āfrica do Sul.

"N√£o temos ideia se ainda √© novo ou se foi a variante dominante na Tanz√Ęnia, e √© por isso que pedimos aten√ß√£o urgente, pois realmente precisamos ter uma melhor compreens√£o do v√≠rus e da epidemiologia na Tanz√Ęnia", referiu por seu lado Richard Lessells, investigador do KRISP, especialista em doen√ßa infecciosas.

"Recebemos amostras adicionais de Angola e estamos atualmente a gerar e a analisar dados", adiantou.

O Presidente tanzaniano, John Magufuli, que morreu no mês passado de doença associada à covid-19, segundo a oposição, negou a existência da pandemia do novo coronavírus no país.

A Tanz√Ęnia, com 509 casos de infe√ß√£o e por covid-19 e 21 mortes, deixou de divulgar novos casos de infe√ß√£o e √≥bitos associados √† covid-19 em maio de 2020, segundo o centro de monitoria global da doen√ßa pand√©mica da Universidade John Hopkins.

O estudo realizado pelos cientistas sul-africanos contou com a participa√ß√£o de v√°rias entidades, nomeadamente o Minist√©rio da Sa√ļde de Angola e o √Āfrica CDC.

Fonte: DN
www.unitaangola.org
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Ex-Presidente da UNITA (2003-2019)
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicac√£o e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
¬©  Copyright 2002-2020
Quarta-feira, 14 de Abril de 2021