UNITA - ANGOLA
Fonte :
Unitaangola
Líder da UNITA apela aos Angolanos a irem aos BUAPs verificar seus Nomes
ACJ Avoz da America 29-06-2022.jpg
Adalberto Costa Júnior disse recentemente em Grande Entrevista à Voz da América na sua deslocação ao país mais poderoso do mundo, no quadro da busca de observadores internacionais ao processo eleitoral angolano e transparência nas eleições marcadas para 24 de Agosto de 2022, tendo aconselhado a todos os cidadãos maiores registados para o voto a irem aos BUAPs antes das Eleições para a verificação dos seus nomes para terem a certeza onde vão votar.

Durante a entrevista o Presidente da UNITA falou também sobre vários aspectos da actualidade política nacional.

“É o momento de cada pessoa assumir o futuro depende de si próprio, de ir votar. Primeiro: de ir aos BUAPs, que ainda estão abertos e verificar o ses nome. Porque, o governo a não publicar as listas, como diz a lei, e a lei é claríssima; e mais uma vez fica muito mal ao governo ter ministros que são professores universitários e que dizem que, lá onde diz publicação, não significa publicação. Portanto, veja isto. Mas é preciso irem verificar os seus nomes para terem a certeza onde vão votar e depois tomarem conta do vosso voto”.

Quanto os protestos verificados à 30 metros das instalações do Tribunal Constitucional, na entrega da lista das candidaturas da UNITA para as eleições gerais em que alguns jovens manifestaram-se contra alguns nomes, o Líder da maior força política refutou a afirmação de que os manifestantes sejam militantes do partido que lidera.

“Não houve nenhuma manifestação. Veja este pormenor, o que é interessante de ver: a Lei em Angola proíbe manifestações em frente e na proximidade dos órgãos, mas aquelas manifestações que são autorizadas, já se diz quem as organizou, foi o MPLA. E, portanto, não se tratam de militantes da UNITA. Esta é uma realidade de Angola, são os gabinetes de acção psicológica, da presidência, enfim. Porque estavam mesmo a frente, à 30 metros de uma instituição. Portanto, é uma absoluta ilegalidade”.

Para o responsável partidário, os seu partido teve, “a coragem de submeter uma lista que abriu espaço a outras realidades políticas, abriu espaço a sociedade civil; o que vem demonstrar que a UNITA está madura, está preparada para trabalhar com os diferentes, e nós temos dito, e estamos a fazer”.

O Presidente da UNITA esclareceu que a lista de candidatura que deu entrada ao Tribunal mereceu consulta dos órgãos do partido.

“A opção de dialogar com outros partidos, e o caso de Abel não é um caso distinto. Dialogar com outros, dialogar com a sociedade, e abrir o espaço do partido para esta participação, sem dúvida obriga antes da coragem, consulta às instituições. E, nós fomos sempre muito cuidadosos e fomos permanentemente consultado o congresso: a Comissão Política, o Comité Permanente. E, portanto, este é o resultado de muita votação e de auscultação interna”.

O Presidente da UNITA defendeu que, o seu partido no poder fará diferente do actual partido no governo, para tal apelou o voto dos angolanos no seu partido.

“Acima de tudo o cidadão votar na mudança, porque a continuidade já provou aquilo que é capaz e aquilo que não quer fazer, depois de estar 46 anos no poder. E, há quem diga: “não é verdade, porque houve a guerra”, ok, então vamos dizer: depois de 20 anos de paz, com orçamentos multimilionários, não se transformou o país na dimensão que esses orçamentos permitiam, chegar a um momento de pré-campanha, e só estar a fazer promessas; em vez de estar a fazer os balanços do que se fez só há promessas, é altura de facto de mandar este governo para casa para ganhar respeito e sensibilidade ao seu povo”.

“A UNITA fará mesmo diferente, porque nós temos de facto estado em contacto de muito intimidade com o povo, isso vê-se nas múltiplas imagens que estão nas redes sociais”.

Para Adalberto Costa Júnior, “Há também uma geração que tem uma cultura absolutamente de um estado controlador, onde asfixia a iniciativa privada. Enquanto esta geração se mantiver ali, é impossível fazer a diversificação da economia. É impossível ter a economia de mercado”.
www.unitaangola.org
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Ex-Presidente da UNITA (2003-2019)
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicacão e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
©  Copyright 2002-2020
Quarta-feira, 06 de Julho de 2022